Clique aqui para voltar à página inicialhttp://www.novomilenio.inf.br/santos/h0173e.htm
Última modificação em (mês/dia/ano/horário): 12/28/10 19:18:35
Clique na imagem para voltar à página principal
HISTÓRIAS E LENDAS DE SANTOS - TELEVISÃO
TV Santa Cecília (1)

A exemplo de várias outras universidades brasileiras, a Universidade Santa Cecília (Unisanta), de Santos, também instalou uma emissora de televisão, de caráter educativo. Alunos de jornalismo dessa universidade descreveram a emissora, na Revista OnLine (consultada em 24/5/2003):


Página Web da Revista Online, da Universidade Santa Cecília (Unisanta), com a matéria

TV Santa Cecilia...
o início

Audrey Kleys, Paola Trocoli, Kátia Locateli e Luiz Nascimento

Em funcionamento há cerca de 2 anos a TV Santa Cecília é uma estação retransmissora de sinais da TVE-Rio de Janeiro (ligada à fundação Roquete Pinto), de caráter estritamente educativo-cultural. O cronograma inclui produção local e e suas imagens podem ser vistas pelo canal 52 UHF, no canal 15 e 26 via cabo.

O estúdio está situado dentro da Universidade Santa Cecília (Rua Oswaldo Cruz), mas sua sede definitiva está bem próxima da instituição, na Avenida Conselheiro Nébias, onde serão montados novos estúdios.

Antiga TV Litoral, juntamente com as outras TVs e escolas da região, suprem a lacuna existente na Baixada Santista no setor de comunicação de massa. A região metropolitana abrange os municípios de Santos, São Vicente, Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Mongaguá e Peruíbe, cuja população fixa está avaliada em 1.300.894 habitantes. Na temporada, esse número chega a triplicar o espectro potencial de telespectadores, e com isso revela-se substancial.

A Baixada Santista retrata um microcosmo do país em um pequeno espaço geográfico que abriga vários "Brasis". Os contrastes são encontrados não somente de cidade para cidade ou de bairro para bairro, mas até de rua para rua. Convivem (ou sobrevivem) paralelamente bolsões de pobreza com grandes indústrias, luxuosos condomínios e improvisadas favelas.

Vinheta de programação da TV Santa Cecília, em 24/5/2003

Assuntos como cidadania, saúde e ecologia são informações que nem sempre estão ao alcance de alguns segmentos da população. Sendo a televisão um veículo de grande alcance e aceitação em todas as camadas sociais, os responsáveis pela TV Santa Cecília acreditam estar conseguindo, gradativamente, atingir a proposta de torná-la uma via educativa complementar não-formal.

A primeira transmissão ocorreu em fevereiro, retratando o carnaval santista. Um ano atrás a estrutura era pequena, apenas um telefone e algumas câmeras. As imagens entraram ao vivo sem cortes, sem projeto-piloto ou qualquer outra experiência da equipe em coberturas de eventos ao vivo.

De acordo com Antônio Marques Fidalgo, diretor de jornalismo da TV, a integração de diretores, funcionários, alunos e professores se fez presente desde o início, sendo esta união um dos principais fatores dos méritos da TV Santa Cecília.

Fidalgo afirma ainda que outras emissoras, com melhores condições, demoraram mais para pôr no ar as respectivas programações.

Após o aparecimento da TV Santa Cecília, cinco boletins informativos de um minuto de duração cada, passam a ser veiculados ao longo do dia. Juntam-se, posteriormente todas as informações em um só bloco formando o "embrião de telejornal", batizado de 5 minutos.

Apesar do nome, o Diário fica no ar de oito a dez minutos, já chegando até a durar treze minutos, devido às introduções e notas de última hora. O Diário, pela própria natureza da TV (Educativa), não é interrompido por breaks comerciais. Por isso, Fidalgo explica que, "se somarmos as partes de qualquer outro telejornal regional, é possível que se encontre menos informações que nos 5 minutos".

Ele esclarece que o noticioso é "um boletim informativo com características de telejornal". O nome também funciona como jogada de marketing porque as chamadas, muito curtas, feitas durante o dia, têm ótima assistência e atraem para a audiência noturna. Afinal de contas, quem não quer ficar informado em apenas cinco minutos?

Reapresentação de programa desportivo da TV Santa Cecília, em 24/5/2003

Os temas abordados transitam sobre áreas bem variadas, como política, cultura, saúde, sempre com ênfase regional. Pelo menos seis, dos nove municípios que constituem a Baixada Santista, são citados todos os dias, mesmo que através de uma simples nota. Santos, Praia Grande, São Vicente, Cubatão e Guarujá são os enfocados. Vicente de Carvalho, apesar de ser distrito de Guarujá, gera muitas notícias, por esse motivo, também é constantemente retratado.

Gravação do programa Ação e Reação, do apresentador Augusto Capodicasa,  em 4/9/2000

Se a equipe desloca-se para lugares mais distantes, já prepara duas matérias, uma "quente" e outra "fria". Assim, mesmo que não sejam utilizadas ambas no mesmo dia, ficam em estoque para preencher espaços quando necessário. O telejornal "versão anã" utiliza também VTs, notas-pé e notas cobertas, além dos recursos já mencionados.

Alguns meses depois da inauguração da TV, a equipe já contava com três equipes de reportagem, três produtores, um grupo de apuradores (formado por alunos de Jornalismo da Unisanta) e um arquivista-pesquisadora.

A linguagem busca a simplicidade a fim de ser entendida por pessoas de qualquer nível sociocultural. A temporalidade da notícia é outra fonte de preocupação. Os advérbios de tempo "ontem" e "amanhã" são, assim, evitados para conferir atualização à matéria.

Reapresentação de programa de futebol de salão da TV Santa Cecília, em 24/5/2003

Aparato Técnico - No início, a torre de transmissão da TV Santa Cecília possuía 200 gramas [N.E.: SIC: watts?], herdada da TV Litoral. Em 1998 foi instalada uma nova antena, no morro do Voturuá (Praia de Itararé), em São Vicente, passando a ter, então, um quilowatt, o que representa maior alcance e qualidade de imagem.

Quando no iniciaram-se as operações havia apenas uma ilha de edição, e com a aquisição de outros novos equipamentos, a ilha usada pela TV foi adicionada ao aparato técnico direcionado aos alunos para a realização de trabalhos.

No segundo semestre de 1997 foi criado um telejornal com 20 minutos de duração, veiculado às 13 horas; são quatro blocos comandados por um casal, diariamente.

Na mesma época, além da ampliada a equipe técnica para suprir as necessidades do telejornal das 13 horas, o noticioso sofreu uma plástica e teve sua essência alterada. O programa receberá contornos mais leves, de maior cunho cultural, justamente para não se tornar uma repetição do jornal da tarde.

Através de projetos ligados às áreas educativa, cultural, comportamental, esportiva, artística, científica, ambiental, comunitária e institucional, os estudantes serão treinados para o mercado de trabalho, aperfeiçoando a mão-de-obra especializada em TV. O processo de feitura dos programas, passo a passo, será aprendido, permitindo o aprendizado da prática televisiva.

Partindo da identidade filosófica e acadêmica oriundas do complexo educacional Santa Cecília, ao longo de 35 anos, surge a a Santa Cecília Rádio e TV Educativas, cujos objetivos se prendem na ênfase na informação com foco regional, sem interpretar ou opinar sobre os assuntos.

O 5 minutos, especificamente, está servindo como multiplicador de idéias, pois a partir de sua semente, outros noticiosos estão sendo desenvolvidos, junto à construção de infra-estrutura e grade de programação próprias da emissora.

Vinheta de programação da TV Santa Cecília, em 24/5/2003

Vídeos em formato FLV (MP4):
A produção de um telejornal da TV Santa Cecília - 1998  [2'30" - 2,81 MB]
Telejornal 5 Minutos - TV Santa Cecília - 19/6/1998  [10'25" - 11,4 MB]

Clique na imagem para obter o vídeo em formato FLV/MP4

Clique na imagem para obter o vídeo em formato FLV/MP4

 

[2m30s - 2,81 MB]

[10m25s - 11,4 MB]

Leva para a página seguinte da série