Clique aqui para voltar à página inicialhttp://www.novomilenio.inf.br/santos/h0173a.htm
Última modificação em (mês/dia/ano/horário): 11/14/10 13:02:37
Clique na imagem para voltar à página principal
HISTÓRIAS E LENDAS DE SANTOS - TELEVISÃO
A TV chega pelo porto (1)


Descarga de equipamentos para a TV Record no porto de Santos, em 1953
Imagem: TV Record - São Paulo/SP

O indiozinho da TV Tupi
Quando a televisão começou no Brasil, os equipamentos para as emissoras paulistas, importados, passaram quase sempre pelo porto de Santos, a caminho de São Paulo. Foi assim com os 210 caixotes de equipamentos RCA da TV de Chatô (Assis Chateaubriand, fundador do grupo jornalístico Diários Associados), a PRF-3 que só mais tarde se chamaria TV Tupã ou Tupi (inaugurada em 18 de setembro de 1950); também pelo porto santista passaram os primeiros equipamentos para a TV Record (de 27/9/1953) e outras emissoras.

Padrão de ajuste de imagem nas transmissões da TV Tupi

Mas, por muitos anos, Santos se limitou a apenas receber os sinais de emissoras paulistanas de televisão, com antenas para captação dos sinais de alta freqüência (VHF - Very High Frequency) das torres retransmissoras postadas no Monte Serrate e na Ilha Porchat, excepcionalmente o sinal em freqüência ultra-alta (UHF - Ultra High Frequency) de alguma torre retransmissora postada nos morros do Guarujá. Alguns possuidores de antenas parabólicas captavam sinais de televisão diretamente dos satélites.


Descarga de equipamentos da Radio Corporation of America (RCA) para a TV Record no porto de Santos, em 25 de março de 1950. Sarita Campos, Demerval Costa Lima e Hebe Camargo no centro da imagem (conforme identificação no site Memória da TV), junto com Lolita Rodrigues, Assis Chateubriand e outros funcionários da emissora
Imagem: Rede Tupi de Televisão - São Paulo/SP - capturada de http://redetupitv.blogspot.com/

Durante a segunda metade do século XX, os telespectadores viram surgir a TV Excelsior de São Paulo (em 1959 - para ser extinta em 1969), a TV Bandeirantes (em 1967) e a TV Gazeta de São Paulo (em 25/1/1970). Viram também a TV Tupi desaparecer, com seus transmissores lacrados em 18/7/1980; a primeira TV Cultura, caçula dos Diários Associados e irmã da Tupi, já havia desaparecido em janeiro de 1968, retornando a 15/7/1969 sob o controle da Fundação Padre Anchieta, ligada ao governo paulista.

Inauguração da TV Excelsior de São Paulo, em 9 de julho de 1950
Foto: Arquivo Centro Cultural São Paulo (CCSP)

 

Em 14/3/1952 entrava no ar a TV Paulista, canal 5 de São Paulo, pertencente as Organizações Victor Costa, e que se associaria em 1957 com a Rádio Clube de Santos para formar a TV Santos, a primeira com transmissores nacionais (produzidos num antigo armazém santista de café!); em 19/8/1981, o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) entrava no ar após um período de testes, transmitindo o próprio ato de concessão dos canais ao empresário Sílvio Santos, que já contava com a TV S no Rio de Janeiro; em 5/6/1983, o "M" da Manchete - então criada por Adolpho Bloch - sobrevoava as principais cidades brasileiras e aterrissava no prédio carioca da Rua do Russel, onde permaneceria até 8/5/1999, quando a rede foi vendida ao Grupo TeleTV, do empresário Amilcare Dallevo Júnior, que iniciava assim a Rede TV!

 

TV Excelsior era uma das emissoras captadas em Santos em 1963, quando Rosamaria Murtinho e Hélio Souto estrelavam a primeira novela brasileira, 2-5499 Ocupado

Nesse período, os santistas, junto com outros telespectadores brasileiros, viram desaparecer o Repórter Esso (criado em 17/6/1953) e o Mappin Movietone, o Factorama da TV Tupi, entre outros, mas também acompanharam o surgimento do Jornal Nacional (em 1/1/1969) dos humorísticos Família Trapo e Balança Mas Não Cai, do Fantástico nos domingos à noite (em 1973); viram despontar os festivais com a Bossa Nova, a Jovem Guarda e a Tropicália, conheceram apresentadores como Blota Jr., Flávio Cavalcanti, Sílvio Santos, Abelardo "Chacrinha" Barbosa, Hebe Camargo...

Torceram defronte à telinha em vários campeonatos mundiais de futebol, viram e comentaram as gafes dos programas e anúncios que tinham de ser feitos ao vivo, pois o videoteipe (VT) só começaria a ser usado (precariamente, pois só quatro anos depois se tornaria possível fazer montagem/edição das fitas) em 1958 (no TV de Vanguarda, da TV Tupi de São Paulo, com a apresentação de O Duelo, de Guimarães Rosa).

Ivon Cury e Hebe Camargo, por volta de 1950, no "TV na Taba", bem antes de surgir o cantor Roberto Carlos - que em 22/8/1965 estreou na TV Record o programa Jovem Guarda
Imagens: arquivo TV Globo

Um marco importante da TV brasileira ocorreu em Santos, no dia 18 de setembro de 1955 - data da primeira transmissão externa direta, com o jogo Santos X  Palmeiras, na Vila Belmiro, pela TV Record. Já em 1960, a inauguração de Brasília é transmitida ao vivo para todo o Brasil.

Os santistas também se emocionaram com as primeiras novelas, como a pioneira 2-5499 Ocupado, na TV Excelsior (canal 2 no Rio de Janeiro e 9 em São Paulo, daí o título da obra) a partir de julho de 1963, estrelada  por Rosamaria Murtinho, Hélio Souto, Glória Menezes e Tarcísio Meira. Logo depois, um sucesso do rádio repetia a dose na televisão: O Direito de Nascer estreava na TV Tupi, em dezembro de 1964, e em maio de 1966 a TV Excelsior emplacava a mais longa novela da televisão: Redenção, com 596 capítulos.

Em novembro de 1968, começava a marcar época na TV Tupi a história de Beto Rockfeller. A comunidade portuguesa santista acompanhou atentamente os capítulos da obra As Pupilas do Senhor Reitor (do escritor luso Júlio Dinis), que a TV Record exibiu a partir de março de 1970.

Marcaram época na televisão novelas como Redenção (TV Excelsior) e Beto Rockfeller (TV Tupi)
Imagens: arquivo TV Globo

Em 26 de abril de 1965, surgia a TV Globo, que logo compraria a TV Paulista (que operava com o canal 5), iniciando a formação da principal rede brasileira de emissoras de televisão. Também entrou no campo crescente das telenovelas, com clássicos como Irmãos Coragem, estreada em julho de 1970. Emplacando sucessos em quase todas as emissoras, uma das grandes autoras de novelas nacionais: a santista Ivani Ribeiro.

Primeira transmissão da TV Globo, em 26/4/1965, e cena de Irmãos Coragem, em 1970
Imagens: arquivo TV Globo

A era dos festivais teve sua contrapartida local: enquanto Jair Rodrigues e Roberto Carlos despontavam na TV seguidos pela Tropicália, nos colégios santistas também eram organizados festivais estudantis de música, como o concorrido Festival de Música do Canadá (Femucan), promovido pela escola estadual Canadá (no bairro santista do Boqueirão).

Julho de 1969. Os primeiros homens pisam na Lua. Como os demais brasileiros e telespectadores de muitos outros países, os santistas acompanharam a aventura de Neil Armstrong, Aldrin e Collins, numa transmissão ainda em preto-e-branco conjunta das emissoras Tupi e Globo. Isso foi possível porque o Brasil havia inaugurado, meses antes, as estações de Tanguá e Itaboraí, para comunicações via satélite, e em 1968 já havia colocado em operação a Rede Nacional de Microondas, com o sistema de transmissão por satélites Telstar.


Em julho de 1969, a chegada dos astronautas à Lua foi transmitida pelas TVs Globo e Tupi

Décadas depois, alguns santistas ainda se lembram também de Pelé, o Rei do Futebol, trabalhando na novela Os Estranhos (TV Excelsior, 1969) e até do ex-governador paulista Adhemar de Barros contracenando com Tarcisio Meira em A Escalada (novela de 1975 da TV Globo).

Padrão de ajuste de imagem para televisão em cores

As cores só chegariam à TV em 31 de março de 1972, com a Festa da Uva de Caxias do Sul, que raros santistas puderam acompanhar em seus novos (e caros) receptores de imagens coloridas.

Cena de O Bem Amado, primeira novela colorida
Logo depois, eles puderam se deliciar com os episódios de O Bem Amado (primeira novela a usar a nova tecnologia, a partir de 24 de janeiro de 1973, na TV Globo), em que se destacava Paulo Gracindo como o prefeito da imaginária cidade de Sucupira, Odorico Paraguaçu, que não conseguia inaugurar sua maior obra, o cemitério...


Descarga de equipamentos para a TV Record no porto de Santos, em 1953

Imagem: TV Record - São Paulo/SP

Ouça:
Arquivo exclusivo de Novo Milênio: o apresentador de televisão Flávio Cavalcanti  divulga em seu programa na TV Tupi, às 21h15 do dia 1º de maio de 1974, um furo de reportagem: a canção Grandola, Vila Morena, que foi usada como senha pelos militares que no dia 25 de abril daquele ano derrubaram o governo militar salazarista em Portugal. A gravação foi ensaiada naquele mesmo dia para a apresentação por Roberto Leal, Maria Alcina e Antonio Campos. Note-se que o apresentador fala em movimento, não em revolução ou ditadura, pois o Brasil estava então sob o pleno controle do regime militar que subiu ao poder em 31 de março de 1964 e seria temerário inspirar comparações entre o acontecido em Portugal e a situação no Brasil (arquivo MP3, 32 kbps, mono 12 kHz, 863 KB, 3'40").

Arquivo exclusivo de Novo Milênio: abertura do noticiário Factorama, da Rede Tupi de Televisão, em 1º de maio de 1974 às 21 horas (arquivo MP3, 376 KB, 46 segundos).

Vinheta com o logo da TV Tupi, com som (arquivo WMV, 114 KB, 7 segundos, do site Retrô TV). Este arquivo pode ser visto com Windows Media Player.

Tema de abertura do Jornal Nacional em 1969, na Rede Globo de Televisão (arquivo MP3, 32 kbps, estéreo 12 kHz, 55 segundos, 222 KB, do site TV Memória)

Abertura da novela O Semideus, exibida pela Rede Globo de Televisão de 22/8/1973 a 7/5/1974 (arquivo MP3, 167 KB, 42 segundos, do site TV Memória)

Chamada para estréia da novela Saramandaia, exibida pela Rede Globo de Televisão de 3/5 a 31/12/1976 (arquivo MP3, 163 KB, 41 segundos, do site TV Memória)

Outros arquivos - de som e imagem - estão disponíveis nas páginas das emissoras representadas em Santos.


Logomarca da TV Excelsior de São Paulo

Leva para a página seguinte da série